Assinatura RSS

Arquivo da tag: sigur rós

quotiano

Publicado em

sete acordo com gritos das crianças. o grande vem dormir no colchão com a pequena, a acorda todo santo dia.

A pequena chora, e saio do sofá que dormia desesperado achando que aconteceu algo. mulher.

Beijo em todos.

papelada bagunçada para carro. macbook quebrado de novo.

Carro, sem café ou queijo ou jornal.

sigur rós, golden slumbers, going to california. tudo no repeat.

Setenta quilômetros: pista dupla, caminhões de cana, pista simples, curvas, caminhões de cana, rio, buraco, trevo, córrego, curva da morte, subidona, caminhões de cana. paralelepípedos.

destino: abre portão, fecha portão. abre portãozinho, cumprimenta cachorras, fecha portãozinho.

oi às moças que estão limpando e conversando. Fantástico e Faustão e mega-sena.

café e queijo e jornal. palmeiras na draga, europa afundando, enem preocupa os editores paulistas do Estadão.

Trabalho. Reviso trabalhos dos alunos, anoto suas faltas, planejo a próxima aula. Planejo errado. tenho que voltar do princípio. não tenho mais tempo.

Saio do recinto: praça da matriz: velhos, bêbados, barbeiro, sorveteiro, lixeiro, vereador grudento.

Escada, inventário, contas, ação de cobrança, contas, telefonemas, cálculos, pepinos de toda ordem. dívidas. meu pagamento não caiu. o telefone diz: culpa sua (?).

Saio do recinto: praça da matriz: velhos, bêbados, barbeiro, sorveteiro, lixeiro, prefeito inadjetivável.

Comida. Agora. Desesperadamente. meio dia e meia.

Anúncios

sobre o ano de 2010

Publicado em
um bom começo

Meus anos vão passando bem. 2010, ano de número bonito, foi um bom ano. Li alguns livros que queria, tive uma menina, QUASE acabei meu mestrado – deposito agora no mês 3. Fui feliz, basicamente, apesar de ter feito umas besteiras como sempre e desperdiçado meu tempo feito um palhaço gordo em frente da (a, à?) TV.

Entendo que a principal coisa pra mim em 2010 foi ter conhecido o Sigur Rós – em termos musicais, claro. Esta banda me acompanhou por vários caminhos, e viajei na música como há muitos anos não fazia – acho que a última vez isto aconteceu com Pink Floyd, acho, ou com o IV do Led, ou com… .

O DVD Heima é absolutamente fantástico. Recomendo a qualquer um e a todos.  Fico apenas triste de ter embarcado um pouco tarde neste trem.

Tarás Bulba, Iron and Wine, Paul, choro, grupo de estudos – várias coisas, mas acho que Agaetis Byrjun está culturalmente acima.

Vou eu inventar minha própria língua, e aí quem sabe vou ser mais bem entendível que sou.

Abracadabra.

Þetta Er Ágætis Byrjun

Publicado em

Um bom começo, este que a gente tem todo dia, como dizia o m. dr. Brown.

Se é bom um ficar dentro do outro, em que a gente entra em um transe subaquático, em que as árvores ficam moles e apóiam nossas costas, se isto realmente representa algo novo, cada dia novo, temos um bom começo, pelo menos um bom começo enquanto sonâmbulos.

Encontrei com Tesla (o Nikolas) estes dias. Estava, como era de se esperar, um pouco magoado por ter morrido no esquecimento e desaparecido nas trevas apesar de ter sido ele quem inventou a possibilidade do mundo ter energia – ricos e pobres – e lâmpadas muito melhores para tanto. Queria um mundo sem fios e sem taxas de eletricidade. Disse-me que foi diagnosticado com TOC por seus descendentes humanos, mas que apenas não gostava de brincos e de pérolas, ao contrário das pombas. E que veio de Marte.

Estou também desconectado. Não tenho com quem falar, a não ser com aqueles que já morreram. Ou, se houver, os de Marte. Meu tempo é outro.

Espero acordar desta insônia, desligar essa música que não entendo e dormir, pra ter amanhã um bom começo – Ágætis Byrjun.